Parlamentar confia nas investigações, porém pediu mais esclarecimento e maior celeridade no processo para não afetar todo modelo do agronegócio e a cadeia produtiva

O presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa, deputado Natalino Lázare, usou a tribuna nesta terça-feira, 6, para dar apoio ao produtores rurais e defender a cadeia produtiva do agronegócio catarinense diante das informações divulgadas sobre a terceira etapa da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. De acordo com as investigações, cinco laboratórios e setores de análises da empresa BRF teriam fraudado resultados de exames em inspeções.

“Sou favorável às investigações e confio no trabalho das autoridades policiais. Os fatos precisam ser esclarecidos, quem errou deve ser punido. Porém, é preciso cautela para que os produtores, os empregados, os empresários, os diretores, enfim, todos os que fazem parte do agronegócio, que são, em sua esmagadora maioria pessoas sérias e comprometidas, não paguem a conta pela má-conduta de uns poucos envolvidos neste contexto”, afirma o deputado Natalino.

Lázare fez um apelo para que todo esse processo tenha uma resolução e o mais rápido possível que a sociedade tenha acesso às informações para preservarmos e proteger este modelo do agronegócio catarinense que é referencia para o Brasil. “Precisamos tratar esse assunto com muita responsabilidade. Conversei esta semana com diversos líderes do setor e todos têm essa preocupação: a falta de esclarecimentos e pouca celeridade nas investigações podem afetar desde o pequeno produtor rural até as indústrias idôneas que são responsáveis pelas exportações do Estado”.

O parlamentar ressalta que é lamentável a maneira tímida de manifestações sobre este assunto por parte de autoridades políticas no âmbito nacional.

ENTENDA O CASO

As investigações demonstraram que cinco laboratórios, credenciados junto ao Ministério da Agricultura, e setores de análises da empresa BRF teriam fraudado resultados de exames em inspeções. Eles teriam informado ao Serviço de Inspeção Federal dados fictícios em laudos e planilhas técnicos. Os resultados dos exames eram relacionados a bactérias do grupo Salmonela.

Confira a sonora do deputado Natalino Lázare

Confira os nossos Projetos de Leis
Acesse a nossa página no Facebook